Ora, ora… quem diria… quem diria. Depois de meses, algumas semanas, alguns dias e poucas horas…. o Menino Prodígio voltou a dar ares de sua graça. Mais conhecido como Robin dos Pampas – Tiago Braz provou que ainda sabe jogar sob pressão. E como. Tanto isso é verdade que das seis vitórias obtidas – cinco delas foram à adrenalina pura quando ele tirou verdadeiros coelhos da cartola conseguindo proezas que só podem ser comparadas a um GM como Magnus Carlsen. Quando tudo indicava que perderia no tempo – uma vez que a agulha de seu relógio o reservara pouco mais de um minuto contra quase cinco de seu adversário numa partida parelha e sem grandes vantagens para nenhum lado, inacreditavelmente Tiago conseguia combinações mágicas que lhe conferia a virada com o inevitável Xeque-Mate em poucos lances. Coisas de um gênio.

Na tarde fria e chuvosa deste último domingo dia 19 de agosto –  o Clube Caixeiral de Santana do Livramento foi o palco para a disputa do 1º Torneio de Inverno 2018 e laboratório para que Tiago Braz pudesse usufruir livremente de suas cobaias brincando de jogar xadrez, do tipo – << jogo com menos tempo e ainda ganho!>> Parece desrespeito ou brincadeira, mas na verdade não é.  Tiago jogou sério e sagrou-se campeão vencendo todas suas partidas  perfazendo 100% de aproveitamento.

É claro que poderão até pensar que tinha apenas jogadores fracos. Ledo Engano. Quase todos os participantes eram candidatos ao título, sem nenhuma sombra de dúvida. Ele enfrentou enxadristas com rating FIDE, FUA (Federação Uruguaia), BFXC. Quase todos na linha dos 2.000 pontos.

E isso não é para qualquer um.

Enfrentar caras assim?

Não.

Ter rating FIDE, FUA e BFXC.

Ah, obrigado pela explicação.

Prossigamos.

Resumindo. Apesar de Tiago afirmar que não passou de muita sorte – a verdade é que não é bem assim.  No xadrez, assim como na vida, as coisas se definem conforme a competência, muito trabalho e acima de tudo dedicação e persistência. E foram todas estas qualidades que se viu no Robin dos Pampas. Se ele vai conseguir repetir a dose – ah, isso  só saberemos no futuro quando ele decidir participar de outra atividade do Bobby Fischer Xadrez Clube.

Relembrando como foram as condições de execução deste torneio de inverno. Foram disputadas seis rodadas pelo sistema suíço de emparceiramento que determinou que as vitórias  no comando das peças Brancas valeriam 2,0 pontos ao passo que para as Negras as vitórias recebiam 3,0 pontos. Em caso de empate as Brancas recebiam 1,0 e as Negras 1,5. Esta diferença de pontos fora calculada pelo ritmo de tempo diferenciado para seus comandantes. 20 minutos  para as peças Brancas e 15 Minutos para as peças Negras Nocaute. Cada um jogou três vezes de Brancas e três de Negras.

Fotos das Disputas

Fotos da premiação

 

 

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)

   
© 2012 Bobby Fischer Xadrez Clube Desenvolvido por PHD Soluções Digitais