Tendo como aporte apenas oito vassalos serviçais aos quais os chamam de peões, dois cavalos, um par de religiosos na hierarquia abaixo de Papa, duas torres de vigia, sua fiel companheira, a Dama e ainda tendo o imperador Trajano defender seu rei durante horas a fio que mais pareceram horas, dias, meses ou anos diante dos mais temíveis oponentes que não mediriam forças para derrota-lo ainda mais porque se forem observados ao longo do horizonte, do alto – era de assustar. Ao todo aqueles exércitos somavam nada menos do que 496 inimigos comandados por 32 generais que desejavam conquistar esta 45ª legião e seu contingente era de apenas 16. Bravos. Valentes. Disciplinados. Eram a cara e o estilo de seu comandante.

O contexto histórico citado acima na verdade é uma analogia exata ao o que aconteceu na noite desta última terça-feira dia 18 de setembro quando houve um torneio de xadrez comemorativo ao 45º aniversário do Clube Social e Desportivo Rivera Chico que tem na presidência José Sandin que por coincidência é enxadrista a exemplo do secretário do clube Leonel Pereira. Mas em linhas gerais nada o que está sendo escrito fugiu da realidade. Trajano Souza, ou Imperador Trajano como acabou sendo cognominado devido não ao seu nome, mas às suas inúmeras vitórias teve apenas uma derrota. E não foi para um Mané qualquer. Ele perdeu, e bem perdida – uma partida para ninguém  menos do que o ex-idolo riverense que, segundo nos relatam os jornais do início do século – lá pelos anos 2004 a 2006, ele fora incansavelmente abordado em via pública, especialmente nos finais de semana quando deliberadamente era reconhecido na avenida Sarandi ou Agraciada.

Roberto Castillo se tornara objeto de veneração quando dava autógrafos e pousava com turistas para inúmeras fotos. Pois bem. Foi para Castillo que o Imperador Trajano provou o sabor amargo da derrota. Só que esta vitória sugou muita energia deste ídolo riverense, que outrora não é mais jovem – que não conseguiu repetir seu grande desempenho nas partidas subsequentes e acabou na nona colocação com apenas 4,0 pontos dos sete disputados.

A partir desta derrota – que aconteceu na terceira rodada quando o imperador houvera derrotado sem muitas dificuldades Santiago Ruiz e Pablo Lara e ao chegar à suntuosa mesa 01 imaginou que aquele ex-ídolo estivera decrepito e não lhe ofereceria muita resistência. Ledo engano. Castillo não outrora não cansara e sua memória estava intacta. Tática por tática e estratégias afins – Roberto Castillo foi mais incisivo e agudo. Venceu. Porém não conseguiu se manter como vimos acima.

Como consequência desta derrota Trajano foi jogar lá na mesa seis que ainda fica no chamado AQUÁRIO DO XADREZ, onde são disponibilizadas as melhores peças e tabuleiros. A última mesa deste condomínio de mestres. Pela frente ninguém menos do que Ele – aquele que esteve desaparecido, sumido. Em outras épocas fora um dos grandes incentivadores e mola mestra do xadrez do clube Sarandi Universitário. Nunca se destacou como jogador. Não tinha muito tempo. Seus afazeres gerenciando o USU sugavam praticamente todo seu tempo. Era pau para toda obra como diz o ditado popular. Eduardo Melo ou mundialmente conhecido como o bom e velho FLACO EDUARDO. O sangue do imperador ainda fervia  de raiva pela derrota na rodada a anterior. Ele ali na mesa seis olhava para sua direita de canto de olho e via ao longe a mesa 01 e Castillo enfrentando um dos gêmeos, Rafael El Hanini. Roeu as unhas, mordeu os lábios inferiores fortemente – sentiu dor e  caiu na real. Perdeu, muito bem, mas havia ainda muitas partidas pela frente.  “Vou tentar não errar como fiz contra Roberto Castillo e vamos em frente!” – assim murmurou sua voz interior. Não deu outra. Coitado do Flaco.Não tinha nada a ver com isso. Sentiu-se incapaz diante de seu verdugo. Sua sentença de morte fora escrita. Não tardaria muito. Finalmente o algoz do Flaco Eduardo anunciou sua morte. O silêncio se manteve. Ninguém sequer se compadeceu.  Se fosse o contrário com certeza Eduardo receberia tapinhas nas costas e muitos cumprimentos. Como isso não aconteceu. Bem. Deixa pra lá. A vida segue seu ritmo.

Após este vitória o Imperador Trajano cresceu mais dois degraus na hierarquia das mesas.  Estava mais próximo da mesa principal. Jogando na mesa 03 contra outro EX – tudo dava entender que o convite para ser ELE o próximo a enfrentar o Cadafalso nunca esteve tão claro. O Imperador Trajano desta vez viu cresceu diante dele um baita PERU que foi grande nos anos de 1994 a 1998 e início dos anos 2000 com diversos títulos. Seu nome. Professor Mário Andrades, também conhecido por Peru. Mesmo jogando no comando das peças negras em nenhum momento deixou que o Peru crescesse para o lado dele. Mais uma vitória e um passo próximo a chegar à mesa principal.

Pela frente na sexta rodada um veterano de larga história e atual campeão do bairro Rivera Chico. Félix Maidana. O rei da retranca. Adora empatar uma partida. Nisso ele é craque. Sua marca registrada. Trajano, talvez 30 anos mais novo, ou até mais, quem sabe – é um indivíduo estudioso. Ficou sabendo das artimanhas de seu adversário e tratou logo de tentar  anular uma eventual armadilha que dificultasse seu objetivo de chegar à mesa 01 na última rodada. Para isso deveria vencer. Dever cumprido.

Com 5,0 pontos, meio a menos do que seu adversário Rafael El Hanini (outro ex). Rafael na verdade é o ex e atual campeão do último torneio de xadrez disputado aqui neste clube. Deste grande confronto sairia o novo campeão do 45º aniversário do Clube Social e Desportivo Rivera Chico. Rafael era o único invicto. Um empate talvez lhe conferisse o título. Talvez. A vitória coroaria El Hanini  com o título de campeão. Mas se descuidou. Corrigindo. O correto seria afirmar que Rafael se descuidou ou o Imperador teve sucesso e executou uma tática melhor! Objeto e assunto para incansáveis e intermináveis análises e discussões. A verdade é que  …… bem, não cabe aqui descrever ou analisar o desfecho e os lances finais eu culminaram com a vitória do Imperador Trajano. Rafael abandonou.

Veja como foi o extrato do campeão

Classificação final

 

 

 

 

 

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)

   
© 2012 Bobby Fischer Xadrez Clube Desenvolvido por PHD Soluções Digitais